Radio Havana Cuba

Uma voz de amizade que percorre o mundo

  • Siga-nos em

#NoMasBloqueo #SolidaridadVsBloqueo

O futuro incerto dos imigrantes nos Estados Unidos

A sociedade norte-americana se pergunta, entre outras coisas, o que acontecerá com os imigrantes a partir de 20 de janeiro de 2017, quando Donald Trump assumir a presidência. Durante sua campanha eleitoral, como se sabe, Trump ameaçou construir um muro na fronteira com o México e deportar 11 milhões de indocumentados. Aliás, este número foi reduzido a dois ou três milhões nos últimos dias.

A verdade é que o programa migratória anunciado pelo magnata inspira incerteza e temor. É que a eleição de Trump, para muitos, envalentonou grupos extremistas racistas, incluído o Ku Klux Klan, e grupos neonazistas que festejaram a vitória do presidente eleito como se fosse um deles.

Segundo o jornal La Jornada, desde oito de novembro passado foram recebidas em diferentes instância mais de 400 queixas de intimidação e ameaças contra minorias. Já o FBI – Bureau Federal de Investigações – afirmou que durante a campanha eleitoral dispararam em 67 por cento os crimes de ódio contra muçulmanos e em 7 por cento todos os crimes de ódio.

Ante esse panorama nada alentador, muitos se uniram para enfrentar o caos que esta política migratória pode causar. Pelo país todo se escutam vozes que convocam a transformar universidades e igrejas em santuários que ofereçam proteção aos imigrantes.

Além do temor que se sente em qualquer lugar, surgem outras perguntas. O que vai acontecer com a economia norte-americana se forem deportados todos os indocumentados. Parece que Trump se esqueceu de que eles contribuem para o crescimento do país e, na maioria das vezes, assumem trabalhos que não querem fazer os norte-americanos brancos.

Pois bem, de acordo com American Action Fórum, em 2014 os imigrantes ilegais representavam 6,4 por cento da força de trabalho e a deportação de todos esses trabalhadores poderia gerar queda da economia norte-americana em seis porcento.

De resto, a expulsão de mais de onze milhões de imigrantes é uma tarefa bastante complicada e cara. Calcula-se que este processo, que poderia durar uns 20 anos, custaria uns 114 bilhões de dólares aos contribuintes norte-americanos, em média 10. 070 dólares para cada pessoa.

O montante inclui o custo de encontrar cada um dos indocumentados em todo o país, de sua detenção enquanto espera a deportação, do julgamento na corte de imigração e seu transporte para o exterior.

Incerto é o futuro dos imigrantes, que estiveram esperando durante os oito anos do mandato de Barack Obama a reforma migratória que tinha prometido durante sua campanha e que sempre deparou com forte oposição no Congresso.

Agora, com um órgão legislativo dominado pelos republicanos e a chegada de um novo presidente com marcante tendência xenófoba, o temor e a incerteza vão crescendo.

Contudo, devemos esperar para ver o que se passa, porque embora muitos se sintam encorajados pelas posições de Trump, não é menos certo que há outros que manifestaram seu descontentamento, inclusive os prefeitos de várias cidades que prometeram defender suas comunidades de imigrantes.

 

 

Editado por Martha C. Moya
Comentários
Deixe um comentário
Contador de Visitas

4091530

  • maxima: 19729
  • yesterday: 4477
  • today: 4330
  • online: 185
  • total: 4091530