Radio Havana Cuba

Uma voz de amizade que percorre o mundo

  • Siga-nos em

#NoMasBloqueo #SolidaridadVsBloqueo

Cuba reitera apoio ao povo e governo da Venezuela

Havana, 23 de fevereiro (RHC).- Em mensagem no Twitter, o presidente cubano, Miguel Díaz-Canel,reiterou o apoio à Venezuela ante as ameaças de intervenção militar dos EUA. Em sua mensagem apontou: “Venezuela não está sozinha. Mãos fora da Venezuela. Basta de pretextos falsos para encobrir planos sinistros”, advertiu.

Díaz-Canel exigiu o fim do cinismo, porque quem precisa ajuda humanitária são os povos empobrecidos por tantas bases militares e agressões imperiais.

Na Rússia, a porta-voz da Chancelaria, María Zajarova, denunciou o traslado de forças especiais e técnica militar perto do território venezuelano como preparativos para uma provocação. Disse que a manobra é promovida e dirigida pelos EUA.

Por sua vez, Nikolai Platoskin, chefe da cátedra de Diplomacia Internacional da Universidade de Humanidades de Moscou, externou em nome do povo russo a solidariedade aos povos e governos da Venezuela, Nicarágua e Cuba. Disse que os três países têm sido submetidos a fortes pressões dos EUA porque elegeram seu próprio caminho de ser livres, e não marionetes de Washington.

Em Caracas, a vice-presidente executiva da Venezuela, Delcy Rodríguez, tachou de show midiático o intento da direita de justificar a suposta ajuda humanitária com a imagem de uma falsa crise no país, e assim facilitar uma intervenção militar estrangeira, almejada pelos EUA.

Por sua vez, Diosdado Cabello, presidente da Assembleia Nacional Constituinte, denunciou a tentativa de responsabilizar os militares venezuelanos com um incidente na fronteira com o Brasil. Indicou que ficou demonstrado que a Guarda Nacional Bolivariana não teve participação nos fatos.

No Uruguai, a Mesa Política da Frente Ampla contestou os que submetem a Venezuela ao bloqueio econômico e depois pretendem usar uma presumível ajuda humanitária como pretexto para agredi-la. No Chile, o chefe de Relações Internacionais do Partido Comunista, Eduardo Contreras, advertiu que o traslado de tropas anunciado pelos EUA e seus aliados não constitui uma simples ameaça e deve ser levado em conta.

Por outro lado, o presidente da Bolívia, Evo Morales, chamou à solidariedade à Venezuela ante a ingerência dos EUA e disse que é preciso assumir uma posição clara de rechaço às ameaças de intervenção militar e às provocações de guerra. “A agressão que vive a Venezuela transcende as diferenças políticas e nos obriga a tomar uma posição: estamos a favor do multilateralismo ou do unilateralismo, do direito internacional ou da barbárie, da paz ou da guerra”, postou Morales no Twitter.

Editado por Lorena Viñas Rodríguez
Comentários
Deixe um comentário
Contador de Visitas

7107771

  • maxima: 19729
  • yesterday: 11638
  • today: 3420
  • online: 207
  • total: 7107771