Cresce número de feridos e detidos em manifestações no Chile

Havana, 26 de outubro (RHC).- O Instituto Nacional de Direitos Humanos do Chile informou que até este sábado tinham saído feridas mais de 900 pessoas e detidas cerca de 3.000 durante as manifestações contra as políticas econômicas do governo do presidente Sebastián Piñera. Os mortos são 23.

Ontem, Santiago, a capital, foi palco de uma gigantesca passeata apesar do estado de exceção decretado pelas autoridades. Dados oficiais indicam que foram mais de 1,2 milhão de participantes que rumaram à Praça Itália para protestar contra o modelo socioeconômico neoliberal que deteriorou as condições de vida da população.

Editado por Lorena Viñas Rodríguez



Comentários


Deixe um comentário
Todos os campos são requeridos
Não será publicado
captcha challenge
up