China anuncia que aumentará cooperação internacional contra a pandemia

Havana, 5 de maio (RHC).- A China garantiu que vai aumentar sua colaboração internacional para combater a Covid-19. Zhang Ming, representante da nação asiática ante a União Europeia, anunciou novas doações de insumos médicos e a participação ativa em ações como o plano global da ONU de resposta humanitária e os programas da OMS – Organização Mundial da Saúde relacionados com a descoberta de vacinas contra esta e outras doenças.

Ming lembrou que a China já forneceu material de saúde a mais de 150 países e organizações no montante de 2,5 bilhões de dólares, e ressaltou os investimentos nas pesquisas científicas sobre a Covid-19, o envio de especialistas ao exterior e o intercâmbio de informação. Reiterou a importância da OMS como coordenadora da resposta global à pandemia e pediu à comunidade internacional ajudar as nações que tem sistemas de saúde precários.

Nesta terça-feira o jornal chinês “Global Times” tachou o secretário de Estado Mike Pompeo de “homem imoral da política” dos EUA, e o intimou a apresentar provas de suas falsas acusações em torno da origem do novo coronavírus. “Pompeo disse que suas afirmações estão respaldadas por uma ‘evidência enorme’. Então deveria apresentar ao mundo essa suposta evidência, especialmente ao público estadunidense ao qual continuamente trata de enganar. A verdade é que Pompeo não tem nenhuma evidência”, indicou o jornal ao se referir a declarações do alto funcionário no domingo passado.

“Para Pompeo e outros como ele, os fatos e o moral não têm valor. O objetivo final agora é ganhar as eleições”, apontou o diário chinês mencionando as aspirações do presidente Donald Trump de se reeleger no final do ano.

Nesse ponto, a OMS – Organização Mundial da Saúde confirmou que até agora não recebeu nenhuma evidência dos EUA em torno de que o novo coronavírus foi produzido num laboratório. “Ainda não recebemos nenhuma evidência específica por parte do governo dos EUA sobre a presumível origem do vírus. De nossa perspectiva, isso continua sendo uma especulação”, destacou Michael Ryan, diretor de Emergências da OMS. Disse que o organismo se baseia nas provas disponíveis, que mostram que o novo coronavírus tem origem natural. “Precisamos entender mais sobre essa origem natural, e principalmente sobre seu anfitrião intermediário”, apontou Ryan.

Editado por Lorena Viñas Rodríguez



Comentários


Deixe um comentário
Todos os campos são requeridos
Não será publicado
captcha challenge
up