Grupo de Puebla rechaça OEA como observadora em futuras eleições na América Latina

Havana, 30 de junho (RHC).- O Grupo de Puebla rechaçou a OEA – Organização de Estados Americanos como observadora em futuras eleições na América Latina, e denunciou o papel dessa entidade regional na derrubada do presidente Evo Morales na Bolívia, referindo-se ao informe cheio de irregularidades sobre uma suposta fraude na votação do final do ano passado.

“O Grupo de Puebla considera que o que ocorreu na Bolívia coloca em dúvida o papel da OEA como observadora imparcial de próximas eleições”, indica declaração assinada por personalidades como o ex-presidente paraguaio Fernando Lugo, o ex-chanceler brasileiro Celso Amorim e o legislador colombiano Ivan Cepeda.

O texto chama a criar mecanismos regionais de observação eleitoral que sejam técnicos, éticos, imparciais e respeitosos do direito, e exige do atual governo boliviano cessar a perseguição contra os membros do MAS – Movimento ao Socialismo, para que esse partido possa exercer seu direito de participar das eleições gerais de setembro.

Editado por Lorena Viñas Rodríguez



Comentários


Deixe um comentário
Todos os campos são requeridos
Não será publicado
captcha challenge
up