Sociedade civil cubana condena o bloqueio norte-americano

Havana, 12 de outubro (RHC).- Nesta sexta-feira decorre em Havana o 15º Foro da Sociedade Civil, cujos participantes condenam o bloqueio econômico, comercial e financeiro imposto pelos EUA a Cuba desde o começo dos anos 60.

O cerco é considerado uma variante de guerra econômica e viola a legislação internacional sobre essa matéria. No dia 31, Cuba vai apresentar na Assembleia Geral da ONU uma nova proposta de resolução que pede o fim dessa política agressiva. Em 26 ocasiões anteriores, documentos semelhantes foram aprovados pela imensa maioria da comunidade internacional.

Ontem, a representante alterna cubana no organismo mundial, Ana Silvia Rodríguez, denunciou que o bloqueio cerceia o direito ao desenvolvimento da população, e sublinhou que os prejuízos econômicos desde que foi instaurado são de 933 bilhões e 678 milhões de dólares.

Falando na Segunda Comissão da Assembleia Geral, Rodríguez indicou que a medida dificulta o acesso de Cuba às tecnologias mais modernas em todos os setores, além de que coloca sérios empecilhos nas relações comerciais e de investimentos com outros países. Também, os laços com entidades financeiras internacionais.

Editado por Lorena Viñas Rodríguez



Comentários


Deixe um comentário
Todos os campos são requeridos
Não será publicado
captcha challenge
up