Autoridades cubanas chamam a cumprir medidas de prevenção da Covid-19

Havana, 6 de julho (RHC).- As autoridades cubanas chamaram a cumprir as medidas de prevenção orientadas para evitar um recuo no processo de recuperação do país nesta etapa de pós-pandemia.

Falando na reunião do grupo temporário de trabalho para essa tarefa, o presidente Miguel Díaz-Canel advertiu que cada vez que se comete um erro ou se deixa de aplicar algum dos protocolos básicos surge um novo grupo de casos positivos por transmissão local.

É preciso continuar trabalhando com disciplina, apontou. Mencionou a intensificação das pesquisas na busca de contagiados, muitos deles sem sintomas da doença, e manter a transparência na informação dada à população sobre a situação epidemiológica.

Também exortou a intensificar o controle sanitário nos aeroportos e marinas do país, levando em conta a decisão de reativar o turismo internacional a partir da semana passada, em princípio nas ilhotas do litoral norte e numa área do balneário de Varadero. Nesses lugares os viajantes estrangeiros não terão contato direto com a população nem acesso a outras partes do território nacional.

Por enquanto, serão realizados testes PCR a cada turista ao chegar ao terminal aéreo. Os cidadãos cubanos ou estrangeiros residentes no país terão de passar um período de quarentena em centros de isolamento antes de irem para suas casas, como vem acontecendo até agora com os voos humanitários e o pessoal médico que retorna após cumprir sua missão no exterior.

O mandatário cubano disse que devem ser aproveitadas as experiências acumuladas no país no enfrentamento à Covid-19 e dos médicos que colaboraram no exterior nessa tarefa.

Também, incentivar a produção nacional de equipamentos de ventilação pulmonar e outros que hoje são importados, explorar o potencial de fabricação de medicamentos e insumos pelo grupo empresarial BioCubaFarma, incrementar o uso da tecnologia cubana SUMA no diagnóstico da Covid-19, aprimorar os protocolos de terapias regenerativas com vistas a aliviar as sequelas da doença, continuar avançando na obtenção de uma vacina efetiva, e aprofundar no estudo dos resultados da utilização de medicamentos concebidos em Cuba como o Heberferon, o péptido CIGB-258 e o anticorpo monoclonal anti-CD6.

Por sua vez, o primeiro-ministro Manuel Marrero indicou que as autoridades sanitárias devem estar preparadas para isolar todo foco da enfermidade que surgir em algum lugar, aplicando medidas estritas de quarentena que evitem a propagação do coronavírus. “As pesquisas agora devem ser mais profundas do que nunca”, indicou.

Alertou-se para o fato de muitos contagiados não apresentarem sintomas, o que obriga a manter por enquanto normas de distanciamento físico e de prevenção como o uso de máscaras em lugares públicos, entre eles lojas, ônibus e centros de trabalho.

Nesta segunda-feira, no habitual contato diário com a imprensa, o doutor Francisco Durán, diretor nacional de Epidemiologia do ministério da Saúde Pública, informou de oito novos casos positivos, todos em Havana, a capital.

Do total de 2.380 contagiados desde o começo da pandemia, 2.234 já receberam alta hospitalar e a maioria deles voltou a suas atividades normais após cumprirem mais duas semanas de isolamento em suas casas.

Editado por Lorena Viñas Rodríguez



Comentários


Deixe um comentário
Todos os campos são requeridos
Não será publicado
captcha challenge
up