Presidente cubano expressa orgulho por viver tempos de Revolução com Fidel

Havana, 13 de agosto (RHC).- O presidente cubano, Miguel Díaz-Canel, expressou orgulho por viver tempos de Revolução com Fidel Castro, cujo aniversário 94 de nascimento se comemora nesta quinta-feira.

“Orgulho de cubano por muitas razões, por viver tempos de Revolução com Fidel, por aprender do seu exemplo, por seguir e dar continuidade a suas ideias e sua obra”, apontou no Twitter.

Noutra mensagem, Díaz-Canel destacou uma frase de Fidel numa matéria escrita em 12 de agosto de 2010: “Não mudei. Serei fiel aos princípios e à ética que pratiquei desde que me tornei revolucionário”.

Ontem, o mandatário cubano ressaltou o papel dos jovens no processo revolucionário. “Uma juventude protagonista, comprometida, decidida, corajosa, criativa e aportadora. Assim é nossa juventude, pela qual sentimos orgulho”, sublinhou numa mensagem no Twitter pelo Dia Mundial da Juventude. Disse que as novas gerações estão presentes nas causas nobres.

Nesta quinta-feira, o ministro das Relações Exteriores, Bruno Rodríguez, afirmou que Fidel Castro é protagonista e guia da política exterior de Cuba. “Seu exemplo de luta pelas causas justas é o princípio da diplomacia revolucionária”, indicou no Twitter, e garantiu que o líder histórico viverá sempre nessa instituição.

O líder histórico da Revolução cubana nasceu em 13 de agosto de 1926 na localidade de Birán, no leste do país. Formado em Direito, liderou um movimento revolucionário contra a então ditadura de Fulgencio Batista, cuja primeira ação foi o ataque ao Quartel Moncada, em Santiago de Cuba, e ao Quartel Carlos Manuel de Céspedes, em Bayamo, em 26 de julho de 1953.

Fidel sobreviveu à repressão dos militares, e no julgamento denunciou os males da pseudo-república imperante no país e explicou o programa de governo pelo qual lutavam. Seu discurso de autodefesa ficou conhecido como “A História me Absolverá”.

“Os problemas da República só terão solução se nos dedicamos a lutar por ela com a mesma energia, honradez e patriotismo que investiram nossos libertadores para criá-la”, expressou na ocasião.

Em dezembro de 1956, Fidel Castro e um grupo de revolucionários desembarcou nos arredores da Serra Maestra para iniciar a luta guerrilheira nas montanhas. Dois anos depois, a ditadura foi derrubada e começou o processo de transformações políticas, econômicas e sociais, com destaque para a instauração de sistemas de saúde e educação gratuitos e de acesso universal.

Hoje, as conquistas e princípios arvorados por Fidel Castro se mantêm apesar da intensificação da política hostil dos EUA, especialmente o endurecimento do bloqueio econômico, comercial e financeiro vigente há quase 60 anos.

Editado por Lorena Viñas Rodríguez



Comentários


Deixe um comentário
Todos os campos são requeridos
Não será publicado
captcha challenge
up