Presidente cubano destaca laços com a Rússia

Havana, 24 de setembro (RHC).- O presidente cubano, Miguel Díaz-Canel, destacou os laços com a Rússia em meio à hostilidade crescente dos EUA. “Em meio a tantas dificuldades, enfrentando ameaças e sanções imperiais, avançaremos e fortaleceremos nossas relações bilaterais”, postou no Twitter.

Nestes dias, o vice-premiê Ricardo Cabrisas visita Moscou, onde está se reunindo com empresários e dirigentes políticos. Um dos propósitos é incorporar Cuba como observadora na União Econômica Euroasiática, integrada pela Rússia, Bielorrússia, Cazaquistão, Armênia e Quirguistão.

Noutra mensagem, Díaz-Canel afirmou que as novas medidas anticubanas do governo dos EUA violam os direitos dos cidadãos de ambos os países. “Sua cruel e criminosa política será derrotada por nosso povo, que nunca renunciará a sua soberania”, apontou. “Como denunciamos na Assembleia Geral da ONU, o império anuncia novas medidas que violam os direitos dos cubanos e também dos norte-americanos”, indica a mensagem.

O pacote anunciado por Washington inclui uma nova lista de instalações hoteleiras em Cuba onde fica proibido fazer reservas, mais restrições à entrada de charutos e rum cubanos no território dos EUA, e a suspensão de autorizações à participação de pessoas sob jurisdição estadunidense em reuniões ou eventos profissionais nesta Ilha. Também foi suspensa a licença geral para transações relacionadas com atuações públicas, clínicas, oficinas, competições esportivas, exposições e outras atividades ligadas a Cuba.

Carlos Fernández de Cossío, diretor geral dos EUA no ministério das Relações Exteriores, considerou que o anúncio feito pelo presidente Donald Trump constitui uma nova agressão e demonstra a decepção e assombro do governo dos EUA ante a fortaleza da Revolução cubana.

Por sua vez, o jornal “Granma”, órgão oficial do Partido Comunista de Cuba, disse que Trump tenta satisfazer a extrema-direita da emigração cubana em Miami com vistas à eleição presidencial de novembro, na qual almeja se reeleger, e lembrou que o mandatário acaba de se encontrar com veteranos da fracassada invasão militar de abril de 1961 em Playa Girón, na Baía dos Porcos.

Editado por Lorena Viñas Rodríguez



Comentários


Deixe um comentário
Todos os campos são requeridos
Não será publicado
captcha challenge
up