Participantes de Assembleia Geral da ONU condenam bloqueio dos EUA a Cuba

Havana, 29 de setembro (RHC).- Oradores de mais de 20 países condenaram na Assembleia Geral da ONU o bloqueio econômico, comercial e financeiro imposto pelos EUA a Cuba, vigente há mais de 50 anos.
 
“Chegou a hora de excluir totalmente da interação internacional as tentativas ilegítimas de pressão de uns Estados sobre outros”, disse o chanceler russo, Serguei Lavrov, e mencionou como exemplo o cerco norte-americano a Cuba.
 
Por sua vez, o ministro de Relações Exteriores da Argélia, Ramtane Lamamra, disse que medidas unilaterais como essa não cabem em meio aos esforços de colaboração e de enfrentamento a ameaças globais. Em termos semelhantes se expressou seu homólogo de Moçambique, Oldemiro Baloi, que defendeu o direito dos povos de escolherem seu sistema político e econômico.
 
O vice-chanceler do Vietnã, Pham Binh Minh, disse que o bloqueio norte-americano é o principal empecilho para o desenvolvimento de Cuba. A Jamaica, Venezuela, Bolívia, África do Sul e outras nações também se pronunciaram na Assembleia Geral da ONU contra essa política hostil.

Editado por Juan Leandro



Comentários


Deixe um comentário
Todos os campos são requeridos
Não será publicado
captcha challenge
up